10 Erros que as pessoas cometem nas obras - Parte 1

Na hora de executar uma reforma na cozinha ou até mesmo de construir a própria casa, muitas pessoas se aventuram sozinhas nessa jornada "construtiva", mas cometem erros que não só colocam em risco a segurança da edificação como também a qualidade final da obra, desvalorizando o imóvel com inúmeros "vícios ocultos".

Conheça quais são eles e aprenda a evitá-los!


#1 Desperdício de Materiais de Construção

Olhe essa pilha de tijolos e de argamassa desperdiçada!

Esse é o número um da nossa lista, pois também é o primeiro e maior erro que as pessoas cometem.


Primeiro, porque a maioria delas não tem uma lista de quantitativos dos materiais a serem utilizados, segundo porque elas não tem nem um projeto, e não existe lista de quantitativos sem projeto. O pedreiro ou mestre de obras pode até se aventurar em fazer um "cálculo de padaria" e conseguir estimar aproximadamente a quantidade de alguns materiais, mas não vai passar de uma estimativa. A quantidade real só é possível de se obter com um projeto bem feito.


Um bom projeto de arquitetura e engenharia tem um super-poder: antecipar informações. E quais são essas informações?

  • Medidas e metragens

  • Quantidades de materiais e serviços

  • Posições de elementos construtivos

  • Erros a serem corrigidos

  • Resultado estético

  • Custos


Sem o projeto (estou sendo repetitiva? mas é a verdade!) é impossível saber a quantidade exata de tijolos, argamassa, ferragens, cimento, areia, mangueiras, tubulações etc. Essa nem é a parte ruim, pois esses materiais dizem respeito a uns 15% do custo total de uma obra. Além de não se ter a mínima noção se todo esse trabalho e investimento terá um bom resultado estético no final das contas.


A parte mais dolorosa são os acabamentos, que ocupam aproximadamente 36% a 40% do orçamento total de uma obra. Gente, 40% é muita coisa, ainda mais quando os acabamentos são os produtos mais caros e mais sensíveis em uma obra!


O que é mais triste nisso tudo: sabe aquele revestimento lindo que você viu na loja mas que custa mais de 200 reais o metro quadrado? Pois é, você não vai conseguir (e nem vai ter coragem de...) pagar por ele. Por quê? Primeiro: você não tem noção do quanto você já gastou e ainda vai gastar na sua obra, e Segundo: você não sabe exatamente a quantidade que você usará desse revestimento. Pode até ser que você use apenas uns 5m², o que daria uns mil reais, acho que vale apena para se ter um revestimento tão bonito em casa, não? Mas se você não sabe quanto vai usar, vai provavelmente calcular errado, vai sobrar, vai jogar fora, e você vai jogar uma bolada no lixo.


Estima-se que mais de 60% (preste atenção, isso é mais que a metade!) de recursos são desperdiçados em obras que não tem projeto ou que tem um projeto ruim. E por recursos, entenda "dinheiro e material", que são os únicos recursos que fazem uma obra. Já pensou, você se planeja pra investir 200 mil reais na sua obra, e descobre que só deu pra fazer metade do planejado porque 120 mil foram jogados no lixo? Triste, não?


#2 Espaços mal Dimensionados


Olha o tamanho que ficou a sua sala! Não cabe nem o seu cachorro!

Esse é um dos vícios de construções que mais desvalorizam um imóvel. O banheiro é muito grande, a sala é muito pequena, a cozinha é muito estreita, o quarto não cabe uma cama de casal...


Isso se dá porque as pessoas, de modo geral, não tem noção de espaço, e muito menos noção de quanto seria a área ideal para cada ambiente.


A maioria compra uma trena, aprende quanto mede um metro, e sai desenhando numa folha com ajuda de uma régua o layout da casa nova. O resultado:


Esse é, de longe, o pior layout que esta arquiteta já viu na vida...

Só para lhe aterrorizar mais: a pessoa que fez esse layout provavelmente estava querendo "economizar" e não contratou um arquiteto. Tudo bem, quanto ia custar o metro quadrado de um projeto pra ela? Uns 80, 100, 200 reais? Sabe quanto custa cada metro quadrado construído? Mais de 1000 reais. É isso mesmo o que você leu. Mais de 1000. Até mais de 2000 a depender do padrão.


Aí a pessoa economiza 200 reais e perde 1500 (porque é isso o que ela vai pagar por metro quadrado na obra para refazer as cagadas do "layout" dela...). Agora me diga: isso foi economia?


#3 Conforto Ambiental Inexistente


Este é você, morando em um apartamento tão quente que parece estar mais perto do sol...

Você sabe o que é conforto ambiental? Provavelmente não (mais um motivo para contratar um arquiteto). Então vamos lá: O que aconteceria se um Urso Polar viesse morar na selva Amazônica?


Provavelmente ele morreria. E por quê? Porque o habitat natural do bichinho é a Antártida, que é fria, muito gelada, muito úmida. Por quê? Porque foi a esse tipo de habitat que os animais dos quais o Urso Polar evoluiu foram habituados e conseguiram sobreviver.


Agora, você sabia que nós, seres humanos, também temos um habitat natural? E você sabe qual é o habitat do ser humano? Qualquer ambiente nem muito seco, nem muito úmido, que fique em torno de 25 graus Celsius (também conhecida como temperatura ambiente). Independente se você, assim como eu, gosta mais do frio, ou (não sei porque cargas dágua alguém consegue) gostar do calor, esta é considerada a temperatura agradável ao ser humano médio.


Você acha que os seres humanos que moral na selva de pedra (vulgo: cidade) consegue viver às margens desses 25 graus Celsius? Provavelmente não, até porque nós somos escravos de um monstro chamado ar-condicionado. Sem o ar-condicionado, os blocos gigantes de vidro onde convivemos nos fritariam vivos. Mas a mesma coisa acontece dentro de nossas humildes casas. Por não saber bolhufas (desenterrei...) do que é Conforto Ambiental, as casas são construídas sem a mínima noção de:

  • Orientação Solar

  • Relação com o Entorno

  • Ventilação natural e cruzada

  • Iluminação Natural

  • Acústica

  • Privacidade

  • Ergonomia

Como viram, não é somente a temperatura que diz se um ambiente tem conforto ambiental ou não. Todas as características físicas que envolvem o bem-estar das pessoas que vão frequentar aquele ambiente dizem respeito ao conforto ambiental. E a esmagadora maioria das pessoas que fazem uma obra sem projeto (ou que contratam um profissional incompetente, que também não sabe nada dessas coisas) pecam em construir uma edificação que apresente conforto ambiental.


Esta é sua casa... no verão...

O resultado? Ambientes quentes demais, ou até muito frios, espaços escuros demais, o quarto fica frio de manhã e quente demais à noite, a sala pega sol demais, os quartos não tem privacidade e são virados para o vizinho, ambientes muito pequenos ou amplos demais desnecessariamente, todo o barulho do exterior entra nos ambientes ou os ambientes não tem vedação acústica (se um espirra num canto o resto da casa fala "saúde"), ambientes abafados (ótimo para acumular poeira, ácaros, mofo...), enfim... uma dúzia de problemas que prejudicam o bem estar e a qualidade de vida dos moradores e usuários, além de reduzir o valor monetário da casa (ou você acha que basta reformar que a casa vale mais? Se fosse assim, qualquer "puxadinho" e o proprietário fica rico...)


#4 Iluminação Inadequada



Essa é uma das mais cômicas. Cômica porque todo mundo adora ver um ambiente bem iluminado, quando as luzes formam um cenário interessante no ambiente. Mas é engraçado ver as pessoas querendo fazer um "efeito" de iluminação usando as piores técnicas e as piores luzes possíveis... Por que será que as pessoas acreditam que basta colocar uma lâmpada no centro do ambiente que fica "bem iluminado"? E ainda saem jogando umas luzinhas menores junto da parede, totalmente sem necessidade.


A pior parte é quando a iluminação é para um ambiente de trabalho: um escritório ou laboratório, cozinha... o ambiente fica escuro, cheio de sombras na mesa, marcando 100 lux na altura dos olhos da pessoa (o ideal é 450lux...). Isso quando as luzes não são fortes demais, ofuscam os olhos e ainda causam dor de cabeça (acima de 600 lux).


Existem dois tipos de iluminação:

  • Funcional ou técnica

  • Decorativa ou cênica

A iluminação funcional, ou técnica, é aquela que nos auxilia na execução tarefas em que é necessário um nível de iluminância específico, para evitar que nós forçássemos as nossas vistas, causando desconforto. É a iluminação usada nos ambientes de trabalho, cozinha, closet etc.

Já a iluminação decorativa, ou cênica, é usada para provocar sensações ou ilusões nos espaços. Elas também são usadas para destacar elementos arquitetônicos ou decorativos nos ambientes.


A iluminação faz parte do conforto ambiental. E a luz é um componente importantíssimo para nossas vidas. Sem ela, nós não existiríamos entre as 6 da tarde e as 6 da manhã. Mas não adianta sair jogando lâmpadas no teto, imaginando que elas vão iluminar da forma como você viu na "foto", porque não vão. Não basta só posicionar a luminária, tem que escolher o fluxo luminoso correto, a temperatura correta da luz, a voltagem correta (para não derrubar seu disjuntor), o tipo de foco correto... E para cada tipo de ambiente ainda tem um tipo de iluminação mais adequada. Ou você acha que um quarto e uma cozinha tem o mesmo estilo de iluminação?


#5 Tomadas incompatíveis com o Layout


Seu olho até brilhou agora, não foi?

Eu prefiro acreditar que não, mas parece-me que existem muitas pessoas que são viciadas em adaptadores, réguas, "Ts" ou Benjamins. Não é possível.


As pessoas se esquecem de adequar a posição e o tipo de tomadas de acordo com o layout e a necessidade de cada ambiente. E depois enfeitam suas residências com lindos kits de régua com adaptador, um mais colorido que o outro, formando um tapete de fios elétricos pela casa, e usando os móveis para tentar esconder (não é verdade?).


Ninguém pensa nas tomadas necessárias para se ligar todo um equipamento de Home Theater, ou os eletrodomésticos da cozinha, ou os computadores do escritório, além de outros equipamentos eletrônicos que usamos em casa como abajures, telefones, carregadores, tablets, secador de cabelo, aspirador de pó, barbeador elétrico, videogame, triturador de alimentos etc.


Conclusão


Uma obra não é um bicho de sete cabeças se, e somente se, você está bem acompanhado por profissionais competentes. Caso contrário, você poderá se arrepender amargamente de ter decidido executar uma obra!


Pense com carinho, pois é um caminho sem volta!


E não se esqueça de baixar o nosso ebook gratuito que explica de forma completa quais são e como evitar os 10 Erros que as Pessoas Cometem nas Obras!


4,815 visualizações

© 2018 by Urban Artist.

Adaptação by IEZ.